O Sol Branco do Deserto Ver ampliado

O Sol Branco do Deserto

Vladimir Motyl (1969), com Anatoly Kuznetsov, Raisa Kurkina, Pavel Luspekaev e Spartak Mishulin, URSS, 83 min.

Mais detalhes

Sinopse
No período pós-revolução, o Exército Vermelho combate bandos de ladrões contrarrevolucionários. Com o fim da guerra civil, o soldado Sukhov volta para casa pelas areias do Turcomenistão, e encontra um destacamento de vermelhos que perseguem o bando do brutal Abdullah. Sukhov acaba então encarregado de escoltar as mulheres do harém do bandido, e entra numa batalha em defesa delas. A mistura de ação, comédia, música e drama levou 36 milhões de espectadores aos cinemas, na época do lançamento.

Direção: Vladimir Motyl (1927- 2010)
Diretor e roteirista, Vladimir Yakovlevich Motyl nasceu em Lepiel, na Bielorrússia. Se formou no Departamento de Atuação do Instituto de Teatro de Sverdlovsk, em 1948, e no departamento de história da Universidade de Sverdlovsk, em 1957. Trabalhou como diretor do Teatro de Dramaturgia de Sverdlovsk, e depois como ator e diretor no teatro de Stalinogorsk. A partir de 1955 foi diretor-chefe do Teatro Juvenil de Sverdlovsk, e entre 1957 e 1960 dirigiu o Estúdio Cinematográfico Sverdlovsk. Entre 1976 e 1985 foi diretor artístico do estúdio Ostankino de longas-metragens. O filme “Criança de Pamir”, de 1963, lhe rendeu o Prêmio do Estado da SSR do Tadjiquistão (1964), e o título de cidadão honorário de Dushanbe (1977). Recebeu também os prêmios de Artista Homenageado da República Socialista da Federação Russa - RSFSR (1992), e de Artista do Povo da Federação Russa (2003). Faleceu em 21 de fevereiro de 2010.

Argumento Original: Valentin Ezhov (1921 - 2004)
Valentin Ivanovich Ezhov nasceu em Samara, na beira do rio Volga. Em 1940 incorporou-se ao Exército Vermelho, participando a seguir da 2ª Guerra Mundial. Após a desmobilização, em 1945, se inscreveu no Instituto Estatal de Cinema (VGIK). Em 1951 graduou-se como roteirista no VGIK, estreando com o filme “Campeão do Mundo” (1954). Um de seus primeiros grandes trabalhos, o roteiro do filme “A Balada do Soldado” (1959), recebeu o Prêmio Lenin (1961), e cerca de cem prêmios internacionais. Valentin Ezhov é autor de mais de cinquenta roteiros para longas-metragens, entre os quais “Ninho de Nobres” (1969, inspirado no livro de I. Turguênev), “O Sol Branco do Deserto” (1969), “Siberiada” (1977), “Arco-íris da Lua” (1983) e “O Príncipe de Prata” (1991).

Música Original: Isaak Schwartz (1923 - 2009)
Isaak Iosifovich Schwartz nasceu em Romny, na Ucrânia. Sua família mudou-se para Leningrado (atual São Petersburgo) em 1930. Estudou piano e deu seu primeiro concerto em 1935, com a Orquestra Filarmônica da cidade. Durante a 2ª Guerra Mundial, dirigiu uma das seções do Coro do Exército Vermelho.  Estreou no cinema compondo a trilha de “O Nosso Correspondente”, de Anatoly Granik, em 1959. Compôs músicas de mais de 100 filmes, incluindo “O Sol Branco do Deserto” (1969), “A Cativante Estrela da Felicidade” (Vladimir Motyl, 1975), e “Dersu Uzala” (Akira Kurosawa, 1975). Recebeu o prestigiado Prêmio Nika, da Academia Russa de Artes e Ciências do Cinema, por sua música para os filmes “Rei Branco, Rainha Vermelha” (Serguei Bodrov) e “Luna Park” (Pavel Lungin), ambos de 1992. Também escreveu música para balés, teatro e televisão.

UMESDVD057

Disponibilidade: PRODUTO EM PRÉ-VENDA COM ENVIO PREVISTO A PARTIR DE 21/01/2022

R$ 39,90

Categorias