Guerra e Paz (Blu-Ray) Ver ampliado

Guerra e Paz (Blu-Ray)

Serguei Bondarchuk (1965-1967) Lyudmila Saveleva, Serguei Bondarchuk, Vyacheslav Tikhonov e Boris Zakhava, URSS, 420 min.

Mais detalhes

Considerada a mais fiel adaptação cinematográfica do clássico de Tolstoi, o filme retrata, em quatro partes, o confronto entre Napoleão Bonaparte e a Rússia, relacionando-o às vidas das famílias Bolkonsky, Rostov e Bezukhov. O que começa como um desastre para os russos termina, sete anos mais tarde, com uma reviravolta, à medida em que a união contra o inimigo comum dissolve o antagonismo entre aristocracia e campesinato.

Vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro (1968), do Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro (1969), e do Grande Prêmio do 4º Festival Internacional de Cinema de Moscou (1965).

Edição com dois discos de blu-ray (ambos de 50Gb, dupla camada) digipack em luva com acabamento especial contendo os 4 filmes, num total de 7 horas de duração, a partir da matriz cuidadosamente restaurada pelo Estúdio Mosfilm em 2017, e com traduções e legendas direto do russo.

Edição limitada com 1 pôster e 4 cards.

Sinopses

DISCO I

Guerra e Paz I – Andrei Bolkonsky (146 min.)
Em 1805, o príncipe Andrei Bolkonsky alista-se no Exército Russo. Gravemente ferido na Batalha de Austerlitz, onde os seus são esmagados, o príncipe é erroneamente dado como morto. Pierre Bezukhov, filho bastardo de um dos homens mais ricos do país, é apresentado à alta sociedade.

Guerra e Paz II – Natasha Rostova (97 min.)
A segunda parte da adaptação do romance de Liev Tolstoi ocorre no ano de 1809. Andrei Bolkonsky se apaixona por Natasha Rostova, e a pede em casamento. Seu pai, o Conde Rostov, pede, porém, que aguardem o retorno do príncipe de uma viagem. Nesse interim, Natasha conhece Anatol Kuraguin, e os dois acabam se envolvendo. Bolkonsky descobre o romance e anuncia o fim do noivado. Bezukhov declara seu amor por Rostova enquanto tenta consolá-la.

DISCO II

Guerra e Paz III – O Ano de 1812 (81 min.)
O exército de Napoleão invade a Rússia em 1812. Pierre Bezukhov acompanha a preparação para o iminente confronto. Ele se voluntaria para a artilharia na Batalha de Borodino, maior cena de guerra já filmada, que contou com 300 atores, 120 mil figurantes e o uso de 200 canhões e 100 mil fuzis. A unidade de Bolkonsky espera na reserva durante o conflito, e o príncipe é atingido por estilhaços de um tiro de canhão. À medida que presenciamos a guerra em toda a sua crueza, ressalta-se o repúdio de Tolstoi ao que o próprio escritor descreve como “o contrário da lógica da razão e da natureza humanas”.

Guerra e Paz IV – Pierre Bezukhov (96 min.)
O Exército de Napoleão avança pelo território russo. Mas a evolução se mostra infrutífera pela efetividade da tática de “terra arrasada” do Exército Russo, sob o comando do marechal Mikhail Kutuzov, que não poupa Moscou, incendiando a cidade para que os invasores não encontrem “nem abrigo, nem suprimentos”. Enquanto Moscou arde, os Rostovs se retiram e no caminho levam vários soldados feridos, entre eles Bolkonsky. Pierre Bezukhov permanece na cidade. Os franceses são derrotados na Batalha de Krasny, e iniciam o longo percurso de volta, acossados pelas tropas russas.

Direção: Serguei Bondarchuk (1920-1996)
Serguei Bondarchuk nasceu na Ucrânia. Depois de combater na Segunda Guerra, concluiu seus estudos no Instituto Estatal de Cinematografia de Moscou (VGIK), na oficina de Serguei Gerasimov e Tamara Makarova, em 1948. A partir de então trabalhou como ator no Estúdio Mosfilm, debutando no filme “A Jovem Guarda”, dirigido pelo próprio Serguei Gerasimov. Em 1951 protagonizou o drama “Cavaleiro da Estrela de Ouro”, dirigido por Yuly Raizman. Em 1955 interpretou o papel principal em uma adaptação de Otelo, de Shakespeare, dirigida por Serguei Yutkevich, prêmio de melhor diretor no Festival de Cannes (1956). Em 1959 estreou na direção em "O Destino de Um Homem”. Do seu trabalho como diretor destacam-se ainda “Guerra e Paz” (1965-67), adaptação do romance de Liev Tolstoi; a coprodução ítalo-soviética “Watetloo“ (1969); “Eles Lutaram pela Pátria” (1975), sobre um batalhão que recua para reagrupar-se em Stalingrado; e a adaptação da obra de Aleksandr Pushkin, “Boris Godunov”, que protagonizou e dirigiu em 1987. Integrou a direção da União dos Cineastas Soviéticos (1971-86). Foi distinguido com o título de Artista Popular da URSS em 1952, com o Prêmio Stalin, também em 1952, e como Herói do Trabalho Socialista em 1980.

Argumento Original: Liev Tolstoi (1828-1910)
Liev Nikolaevich Tolstoi, considerado um dos mais importantes autores da literatura realista de todos os tempos, nasceu em Yasnaya Polyana, na Rússia, em 9 de setembro de 1828. Com nove anos ficou órfão de pai e mãe, sendo criado por tias e educado por diversos preceptores. Em 1843 iniciou o curso de letras e direito na Universidade de Kazan, mas abandonou os estudos 4 anos depois. Em 1851 iniciou carreira de oficial, no Exército de Cáucaso. No ano seguinte lutou na Guerra da Crimeia, entre russos e turcos, e nessa época escreveu suas primeiras obras: “Infância” (1852) e “Adolescência” (1853). Em 1856 deixou o Exército. Nesse mesmo ano escreveu “Crônicas de Sebastopol” e “Juventude”, completando sua trilogia autobiográfica. Ao regressar de uma viagem à Europa, isolou-se em sua propriedade rural, determinado a se dedicar à literatura. Casou-se nesse período com Sofia Bers, com quem teve nove filhos. Em 1865 iniciou, no formato de folhetim, a publicação de “Guerra e Paz”, uma das maiores obras literárias de todos os tempos. A publicação do romance completo viria 3 anos depois. Em 1877 lançou “Anna Karenina”, outro dos seus romances de grande repercussão. Isolando-se da sociedade e distanciando-se cada vez mais da família, Tolstoi decidiu entrar para um mosteiro. Planejou sua fuga de casa e em 31 de outubro de 1910 finalmente embarcou num trem, levando apenas a filha Aleksandra e um criado. Com a saúde abalada, foi obrigado a descer na cidadezinha de Astapovo. O fato tornou-se público, e telegramas e visitas chegaram de toda a Rússia e outras partes da Europa. Liev Tolstoi resistiu mais alguns dias, mas faleceu pouco depois.

Música Original: Vyacheslav Aleksandrovich Ovchinnikov (1936-2019)
Nascido na cidade russa de Voronezh, Vyacheslav Ovchinnikov começou a compor muito cedo e concluiu o Conservatório P.I. Tchaikovsky, em Moscou, em 1962. Entrou para a União de Compositores Soviéticos em 1964, e para a União dos Profissionais de Cinema da URSS em 1967. Compôs principalmente óperas e música para balés, mas também é autor de quatro sinfonias, além de oratórios, suítes e peças instrumentais. Começou a trabalhar no cinema em 1957, fazendo as músicas dos dois primeiros filmes de Andrei Tarkovsky, “A Infância de Ivan” e “Andrei Rublev”. Realizou ainda restaurações de filmes mudos, como a trilogia “Arsenal”, “Zvenigora” e “A Terra”, de Aleksandr Dovzhenko, além da trilha sonora do consagrado “Guerra e Paz” (1965-67), de Serguei Bondarchuk. Recebeu a Ordem da Bandeira Vermelha do Trabalho, e o Prêmio do Komsomol Leninista, em 1977, pela música do filme “Eles Lutaram pela Pátria”. Em 1977 foi nomeado Artista do Povo da República Socialista Federativa Soviética da Rússia, e recebeu a Ordem “Pelos Serviços Prestados à Pátria” de IV Grau em 1996.

 

UMESBD005

R$ 119,90

Categorias